quinta-feira, maio 01, 2008

ANTI-PIRATARIA


Os onze leitores do blog sabem que o Cineman é totalmente contra a pirataria. Fiz diversas postagens elogiando a ação da repressão à pirataria e denunciando os refúgios onde alguns remanescentes ainda vendiam seu botim. Mas não dá para aguentar o que algumas produtoras de video vinham e vem fazendo. Além do tradicional "warning" em inglês, francês, espanhol e até em português você ainda tinha, até pouco tempo atrás, que assistir um filmeco em inglês contra a pirataria. Muita gente até gostou - o filme tinha toques do SIN CITY - e, pensando que era um trailer de um lançamento, procurava o filme nas locadoras. Agora fizeram uma produção nacional contra a pirataria, disse uma? Não. São quatro filmes que eles passam no mesmo DVD, e muito ruins. Pior. Não temos direito de saltar logo para o Menu. Temos que aguentar aquelas quatro variações sobre o mesmo tema. Acho que é um tiro no pé. É mais ou menos como o MST, todo mundo era a favor até que os carinhas começaram a exagerar e a defender teses que claramente não tem nada a ver com a luta pela terra própria. Perderam todo o apoio. O Cineman já tinha reclamado dos trailers que uma produtora obrigava a ver antes do filme. A produtora, certamente leitora do blog, passou a permitir que o consumidor salte direto para o Menu, sem ver os trailers. Espero que o mesmo aconteça com os filmecos da pirataria. Um está bom, a gente aceita. Quatro? No Way.
Até a próxima postagem.
Na foto acima temos um pirata simpático. Isto quer dizer que, dependendo da forma como se apresenta, até a pirataria pode passar a ter defensores.

5 comentários:

CINEMAN disse...

A brincadeira feita na postagem com relação a mudança de comportamento de uma produtora de video em função do que colocamos no blog tem origem num editorial publicado num jornal de Novo Hamburgo ou São Leopoldo por ocasião do fim da Segunda Guerra.
"- Por diversas vezes, das páginas deste jornal, alertamos o Fhüerer dos maus caminhos que ele estava trilhando. Não fomos ouvidos. Eis no que deu"

Pobre Pampa disse...

Os filmezinhos são muito bons!!! Puro cine trash! Aquele do troco em balas é genial, convenhamos! Mas, claro, não convence... a questão da pirataria não tem nada a ver com crime organizado e seilá mais o que. É só as distribuidoras venderem por preços mais realistas, mais de acordo com nosso mercado. Nada tão complicado. Se "Tropa" tivesse sido vendido, legalmente, ao mesmo preço que os camelos, eles estariam nadando na grana!!!

Agora, obrigar a assistir aquelas porcarias antes do filme, é dose! Cria, ao contrário, uma certa simpatia com o pirata que corta aquelas bobagens todas para economizar espaço.

CINEMAN disse...

O Tropa até que foi vendido por um preço razoável (R$ 29,00) e hoje tu encontras a R$ 10,00 a cópia legal. Mas e as porcarias que os caras vendem a R$ 110,00? Ou seja 109,00 de direitos autorais ou o que for e 1,00 para a mídia. Quando quebra a midia, ou seja, o 1,00, você não tem direito a receber outra cópia.

Carlos Eduardo da Maia disse...

Também acho que assistir aquelas porcarias de antipirataria não tem o menor sentido. E tem filmes que são quatro diferentes. Outra coisa que tenho notado é que em muitos filmes não há como escapar de ver esses trailers.

CINEMAN disse...

É contra isto que eu reclamo Maia. Se a gente pudesse pular os filmesinhos, tudo bem, mas não pode. Eles não aceitam nem aceleração. As vezes dá para variar um pouco trocando a linguagem para espanhol, ai fica um pouco mais engraçado.