terça-feira, dezembro 18, 2007

RAPIDINHAS



Em Busca do Tempo Perdido. Não é bem isto, mas este fim de semana separei algumas horas para ver alguns filmes novos e velhos que eu havia recebido. Lembram que passei os últimos dias envolvido com trilhões de coisas e não sobrou tempo nem para filmes nem para o blog. Vamos lá, comentários superrápidos. Para começar - O CHEIRO DO RALO - Muito bom. Minha mulher diz que eu sou preconceituoso com o cinema nacional. Não é bem assim. Quando surge alguma coisa boa eu destaco. Quando Meus Pais Sairam em Viagem de Negócios, Tropa de Elite e agora O Cheiro do Ralo. Claro que badalaram demais este filme e só isto já dá para ficar com o pé atras, mas não se assuste, veja o filme que é muito interessante. Diversas leituras. Muitas já foram feitas mas ainda tem outras para fazer. Outra hora eu faço isto. Para começar acho que o cara que escreveu a estória teve uma desilusão amorosa e transferiu para o papel. No papel ele inverte os papéis dos personagens da vida real e passa a ser ele que encerra o noivado. A partir dai ele renega qualquer possibilidade de envolvimento e transforma suas relações em matéria paga. A relação com o brique que ele administra é direta. Além de objetos ele compra sentimentos e não dá a minima bola para estes. E tem o cheiro do ralo, é claro. Nada mais do que transferência de responsabilidade - Não fui eu - Coisa que a gente anda vendo, ou sempre viu, na política. Mas vejam o filme.
ROGUE, O ASSASSINO. Excelente filme de ação com Jet Lee e Jason Stathan. Se você leu as criticas americanas do filme, esqueça. É a dificuldade deles reconhecerem que tanto Jet Lee, como Jason Stathan são mais convincentes que qualquer um dos últimos atores de ação que eles tem apresentado. Para uma sessão dupla leve junto o excelente Ultimato Bourne, o terceiro da série, com Matt Damon. Ultimato é do diretor de Supremacia Bourne, Paul Greengrass. Ação a enésima potência. A perseguição no subway é genial. E, desculpem, Matt Damon está ótimo no papel, como esteve igualmente nos outros dois Bourne.
Pegando mais leve - Assisti um Truffaut que saiu agora em DVD - O QUARTO VERDE - Nada contra os filmes franceses, e ainda mais de Truffaut que eu gosto. O Quarto Verde é muito chato. Assisti até o fim, mas não foi fácil. O personagem principal é interpretado pelo próprio Truffaut e tem uma relação doentia com a morte. O tal quarto verde é uma homenagem que ele presta a todos os seus mortos. Talvez eu estivesse cansado de tanto tiro. Num momento mais propício quem sabe eu teria gostado do Quarto Verde.
Imediatamente para rebater fui para a ESTALAGEM 2. Não vi o primeiro mas a garotada certamente vai gostar de Estalagem 2. Não recomendável para quem tem mais que vinte anos.
Para encerrar tive a péssima idéia de escolher FEED. Eta filme chocante. O tema central são as taras consentidas entre adultos. Nas cenas iniciais os policiais invadem uma casa onde estaria sendo praticado um crime. Um homem está comendo partes de outro - fritas.. e o outro consentiu. Problema para a lei. Não existe acusador. Depois o filme vai para a verdadeira estória, um tarado que engorda mulheres. Mas engorda mesmo.. 200 kg, 300 kg.- E elas consentem porque ele as alimenta por amor. O filme é revoltante mas tem um ótimo final. Ficamos com uma leve dúvida. Essas coisas realmente existem?
Até a próxima postagem
TRAILER DE CHEIRO DO RALO

2 comentários:

deus cego disse...

Cineman, gostei muito do Cheiro do Ralo que apenas prova que o cinema nacional anda mesmo em grande fase. O homem que compra tudo e que usa e abusa da humilhação de quem vende. Assisti do mesmo diretor Nina, que é muito bom, também. Salton Mello, que faz o meu amigo João da Ega na série os Maias, está muito bem.

CINEMAN disse...

deus cego é muito benvinda tua presença aqui no blog. E o Cheiro do Ralo é realmente muito bom. Pedi para as atendentes da locadora recomendarem para o pessoal que gosta de filme nacional. Ainda não vi NINA, vou dar uma conferida.