domingo, novembro 11, 2007

O BANDIDO DA VILA AREIA


É um filme que ainda não foi feito mas tem todos os ingredientes para ser muito interessante.
Procurei alguma coisa similar nos filmes que vi mas não encontrei nada. A nossa realidade é muito mais criativa que os roteiristas americanos. Basta pegar uma filmadora e tomar algumas cenas do Nordeste e temos um filme concorrendo ao Oscar - Central do Brasil. Filmar um caminhoneiro passeando pelo mesmo Nordeste e temos outro - Cinema, Aspirinas e Urubus. E agora na vila Areia, em Porto Alegre, aconteceu um fato que merece filmagem direta. Resumindo a história para quem não é daqui: Perfil do personagem - Homem de 26 anos, assassinou três pessoas há algum tempo atras. Foi condenado a 18 anos, cumpriu 3 e foi colocado em liberdade vigiada (?), fugiu e matou outro. Foi preso e condenado novamente a não sei quanto tempo. Um ano depois foi colocado no semi-aberto. Fugiu novamente. Neste momento, antes do confronto com a policia, que é o centro da história, ele está morando num barraco que ele invadiu (como? de quem era?) junto com sua companheira. Com seu fuzil mantem ordem na vila. Não deixa roubarem as galinhas uns dos outros, os botijões de gás etc...é uma espécie de xerife. E para se manter, é claro, negocia com drogas. Como precisa de auxiliares alguns moradores da vila Areia prestam pequenos serviços remunerados. É um perfil bem ruinzinho que só perde para o perfil de uma justiça que deixa um assassino em liberdade após 3 anos de pena, e que depois que ele sai e mata outro, libera após um ano. Convenhamos em termos de perfil, muito pior.
A policia se aproxima do barraco. Estão em busca de drogas e armas. Mas o herói da vila Areia não está desprevenido. Ele tem um sistema de câmeras de vigilância que lhe permite saber que os "homis" estão chegando. Com seu fuzil ele acerta um dos agentes na cabeça, matando-o imediatamente. Fere com gravidade um outro. E aí vem a negociação. Ele não vai se entregar assim no mais. A primeira noticia que eu ouvi é que havia refens. Que refens? era a companheira e uma amiga. E a policia negociou, e negociou, só faltou ele pedir um helicóptero para fugir. Veio a imprensa, e ai o herói se entregou. Aplausos da população. Para a policia, que conduziu uma ação sem violência apesar da revolta de ter perdido um homem honesto no confronto? Não. Para o herói da vila Areia. Acho que apesar da ZH dizer que a população da vila Areia aplaudiu o bandido eu não quero acreditar nisto. A maioria deve ser honesta e não vai aplaudir assassino e traficante. Mas meia dúzia dos beneficiários do herói devem ter se manifestado. Vão perder a boquinha.
Mas ai vem os colunistas e começam a surgir as velhas teses da falência do estado e que o povo tem que se apoiar em alguém, nem que este algúem seja um criminoso. Por favor, vamos parar com isto. Apesar de eu não ser um simpatizante do Lula não posso negar que muita coisa está sendo feita para os menos favorecidos. Acho que é uma ação não muito diferente da do traficante, pois não passa de assistencialismo puro, mas é isto o que o povo quer. E enquanto não tivermos um povo educado (já se sabe que pela ação dos políticios, jamais) sem mudanças no front ocidental. Está ai o salário familia para não me deixar mentir. Então apoiar bandido é crime. E como crime tem que ser tratado.
E ainda tenho que aguentar a crônica do Paulo Santana de sábado, transcrevendo uma enorme carta de um advogado, numa linguagem rebuscada e técnica, dizer em sintese que o povo tinha razão em aplaudir o bandido/herói. Para usar um termo do meu avô. Durma-se com um barulho destes.
Até a próxima postagem.
Do filme Scarface, baseado em All Capone que se gabava de ser um benfeitor do povo americano

6 comentários:

Pobre Pampa disse...

O fato é que o povo da Vila Areia é marginal como o seu herói! É gente de Porto Alegre, criada nas sinaleiras da cidade, morando sob as pontes e que se instalou por ali mesmo. Não sabem realmente o que é sociedade e talvez aí esteja sua redenção. Qual a desculpa para a prefeitura não destruir a tal vila, que é - obviamente - irregular? Está faltando um trabalho de base, mesmo! Trabalhando-se as crianças atuais, que estão nas sinaleiras da vida, pode-se evitar o aplauso dos futuros "heróis"...

Anônimo disse...

Corrigindo o Pobre Pampa, a prefeitura está sim a destruir a tal vila, inclusive o acesso à casa do traficante foi facilitado devido a área que estava aberta...
Para ser bem sincera, ele sempre quis ter esse ibope todo...
é uma pessoa orgulhosa, egocêntrica, muito inteligente (devido a estudos realizados dentro da penitenciária) e não posso deixar de citar 'louco'...
O conheci e tinha certeza que ele não ía se entregar, para minha surpresa não foi o que ocorreu...
E só uma dúvida tenho...
Como ficará a suposta companheira dele? Recém com 18 anos, uma vida inteira pela frente ela teria...
Esse amor vai durar? Duvido!!!

Pobre Pampa disse...

Uma coisa que todo bandido deste naipe tem, é a covardia. Usou a própria namorada como "refém", matou um brigadiano e se entregou para não ser morto. Covarde é assim mesmo! Provavelmente vai estar solto em um ou dois anos, se não fugir antes...

Prof Charles disse...

Eu acho que esta situação precisaria de um estudo maior. Algum sociólogo do governo deveria entrevistar este pessoal que aplaudiu o bandido e tentar descobrir as verdadeiras razões. Se for por conivência é uma coisa mas se realmente a população está aplaudindo o cara porque vê nele um melhor substituto para o Estado então temos que reavaliar algumas coisas.

Sra. Kappa disse...

Volto aqui para continuar meu comentário...
Joel foi preso quinta-feira da semana passada, e desde lá, a brigada militar, helicópteros, BOE, DENARC, etc. Já pararam mais duas vezes a Vila Farrapos toda!!!
Então eu pergunto, foi preciso toda aquela tragédia para que a polícia começasse a enxergar que já tava mais do que na hora de começar a agir?
Se o Joel não tivesse feito toda aquela bagunça com imprensa e tal, talvez continuaríamos na mesma!
Então, hoje, eu levanto e o aplaudo sim!!!!
Mas deve ter muita coisa por trás disso tudo, tem famílias que se negam a sair da área para as casas populares, e com uma lógica nisso:
Hoje, a Tio Zeca e a Areia (que são uma só: Vila Tio Zeca na frente, na Rua Frederico Mentz; e Vila Areia para o lado da Freeway), são como um labirinto de ratos, um formigueiro que é muito fácil 'sumir' rapidamente lá dentro. Quem passa de carro pela frente não enxerga mais que as primeiras casas... Com a mudança da prefeitura, vai poder ser visto o interior da vila...
Creio que isso seja relevante para quem não quer ser visto...

Prof Charles disse...

Eu acho que este negócio do acesso é uma coisa importante. A história é antiga e conhecida - Paris era um conjunto de vielas que com algumas poucas barricadas tornava dificil a imposição da "lei e da ordem", além de ser muito feia. Um arquiteto, Barão Haussmann, que queria melhorar a cidade com a construção de grandes avenidas, convenceu Napoleão que avenidas largas permitiriam a passagem dos canhões.