terça-feira, março 20, 2007

RITMO ACELERADO (It´s All Gone Pete Tong)


Recebi dois lançamentos de DVD que, pelo menos um deles, está sendo muito esperado - Volver de Pedro Almodovar. Mas eu quero falar do outro, que acredito que vocês não ouviram nada sobre. Trata-se de Ritmo Acelerado. O nome em ingles, It´s All Gone Pete Tong, é um jogo de palavras em cima do nome de um D.J. inglês, Pete Tong, mas que quer dizer na real it´s all gone wrong - vai dar tudo errado. O filme é apresentado no estilo de documentário com personagens reais fazendo comentários sobre o herói do filme Frankie Wilde. Mas Frankie Wilde não existe e nunca existiu, é ficção pura. Os yankes go home chamam este gênero de filme de mockumentary. O engraçado é que o pessoal que lançou o DVD no Brasil embarcou na canoa da estória real, vejam a sinopse que aparece na capa do DVD - "O filme mostra a vida trágica do lendário Frankie Wilde. A história nos leva através da vida de um dos melhores Dj's conhecidos, e a subsequente batalha com um distúrbio auditivo, culminado com sua misteriosa saída de cena." Maravilha, não?
Mas o filme é muito bom. Eu gostei muito. Frankie Wilde (Paul Kaye) é um DJ na maravilhosa Ibiza. Idolo total. Animando as furiosas noites do Pacha com sua técnica e sensibilidade. Rico, bela mansão, bela mulher, muita, mas muita cocaina. Então, de repente ele fica surdo. Completamente surdo.
O filme com crueza, com algum humor, com alguns simbolismos talvez meio anacrônicos, entre os quais um enorme bicho de pelúcia imaginário com o qual ele tem relações de amor e ódio, vai mostrando a destruição de Frankie. Vaiado ele é literalmente expulso da cena D.J, num momento do filme a mulher o abandona mas ele está tão drogado que nem chega a perceber. O combate solitário de Frankie contra o vicio da droga, auto exilado por um ano em um quarto acolchoado que ele mesmo construiu, é apresentado de forma magnífica pelo diretor e roteirista do filme, Michael Dowse. Quem lê quadrinhos conhece o Demolidor. Um herói cego que aprende a utilizar de forma quase sobrenatural os demais sentidos para compensar a cegueira. Frankie acha trilhas semelhantes, e elas começam com Penelope, linda, surda e que ensina leitura labial. Mas o momento magnífico do filme é quando Michael descobre que, ao exemplo de Demolidor, sentidos podem compensar outros sentidos. É de boa norma que ao comentar um filme não se conte o final, digo apenas que se trata de um filme com alto astral além, é claro, de um som ensurdecedor.
Até a próxima postagem.
TRAILER DE RITMO ACELERADO

UMA AMOSTRA DE PETE TONG

4 comentários:

Anônimo disse...

esse filme me pareceu bem real até mesmo pq vc nuam consegue distinguir ao tecer seu comentário se o nome do personagem principa é Frankie, peter Tong ou Michael, acho que vc é meio confuso e nuam entendeu o filme.

Prof Charles disse...

O filme é muito bom independente do diretor Michael Dowse não contar uma história real. Eu tinha visto o DVD e acreditado na histórinha da capa. Mas muito bom o comentário. Gostei da amostrinha do Peter Tong.

Carlos disse...

Puxa vida. Eu não entendi foi o comentário lá de cima. E o prof Charles, normalmente tão certeiro, chamou o grande Pete Tong de Peter Tong. Erro de imprensa eu acho.

E-Music Sound disse...

o da hora