terça-feira, janeiro 23, 2007

DOMINO


Lá pela decada de 50 o cinema Capitólio de Pelotas fazia uma promoção de Natal que era uma maravilha. Tinha prêmios. Você ia ao cinema no dia de Natal e ganhava um prêmio. O mais desejado era a permanente. Com a permanente você podia assistir filmes de graça por um mês e até, a mais desejada permanente, o ano todo. Passavam sempre filmes antigos. Um que sempre era exibido, em todos os Natais, na sessão das oito, era E O VENTO LEVOU. Pois eu tinha tanta implicância com este filme que mesmo com todos aquelas permanentes, eu pulava a sessão das oito. Só vim a ver este filme há muito pouco tempo atraz. E gostei. Acontece isto comigo. Tem filmes ou livros que todo mundo fala e que eu tenho uma espécie de bloqueio psicológico. Domino foi um destes filmes. Um dia venci minha prevenção e assisti o filme. Nada mau. O personagem do filme é real. Domino Harvey era filha do ator Lawrence Harvey e da modelo Paulene Stone representada no filme pela Jacqueline Bisset. Lawrence Harvey fez entre outras coisas o assassino programado de Sob o Dominio do Mal. Fez também o coronel do Alamo de John Wayne. Lembram daquela cena ao final quando ele quebra a espada na perna? Pois Domino Harvey com toda a formação que as meninas ricas dos Estados Unidos podem ter, com um caminho aberto para a profissão de modelo, de repente, acaba se transformando numa bounty hunter (que não pode ser traduzido exatamente como caçadora de recompensas). Nos Estados Unidos, a gente já viu isto demais em filmes de júri, tem empresas legais e não tão legais que emprestam o dinheiro da fiança (bail) para a pessoa não ir para a cadeia. A fiança é uma garantia contra a fuga. As vezes o pessoal pega o empréstimo, paga a fiança e foge. Os bounty hunter vão atrás dele. Domino morreu aos 35 anos de overdose, não antes de conhecer Tony Scott que ficou seu amigo e resolveu fazer o filme.
Talvez Tony Scott tenha exagerado um pouco nas cores. O filme é um clip estilizado do inicio ao fim. Chega a incomodar um pouco. As cores intencionalmente saturadas ajudam a criar esta atmosfera. Mas o filme com toda sua violência tem muito humor. Vejam esta cena. Um ladrão tem tatuado no braço o número da combinação de um cadeado. Como ter este número na hora de abrir o cadeado? Copiando? Não, arrancando o braço fora com tiros de espingarda. Violência ou humor escrachado? Nesta mesma cena, como não poderia faltar, é feita uma citação do pai de Dominó. Na televisão está passando Sob o Dominio do Mal. Dominó não concordou com o roteiro original onde ficava clara a sua bi-sexualidade. A alteração de roteiro apenas faz uma insinuação numa cena onde ela é inquirida por uma agente do FBI.
Keira Knightley está ótima como Domino. Versátil esta mocinha. Mickey Rourke muito bom. Acho que já dá para dizer que, depois de Sin City, ele voltou ao cinema. Péssimo lutador de box mas excelente ator. Acho que ele chegou a esta conclusão também.
Recomendação para um domingo a tarde.

O ESTRANHISSIMO ENCONTRO DE UM PREGADOR VISIONÁRIO (TOM WAITS) COM DOMINO.

Um comentário:

Buggyman disse...

Sujeiro estúpido! Dar um tiro de espingarda no braço que tem a tatuagem! poderia comprometer a leitura...