sábado, setembro 08, 2012

SIMPLESMENTE MORTO - PETER JAMES

Depois de ter sido humilhantemente derrotado pelo Cemitério de Praga de Umberto Eco (não passei da página 50) passei a selecionar bastante os livros que compro. Caras conhecidos que eu gosto. Jo Nesbo, Jeffery Deaver, Michael Connelly e outros do mesmo naipe. Então foi com algum receio que, na falta de livros novos dos citados, comprei Simplesmente Morto de Peter James. Nunca li nada de Peter James e pensei que era um autor novo. A sinopse era interessante apesar de repetir uma história de Stephen King, e as primeira páginas, que sempre leio antes de comprar, prometiam. Depois descobri que Peter James é um veterano escritor inglês, com várias obras publicadas em diversos países, menos no Brasil. Veja o site de Peter James.(o Simplesmente Morto é o Dead Simple de 2005) A história parte de uma idéia interessante e traumática. Uma despedida de solteiro. O noivo tinha uma longa história de brincadeiras pesadas com os amigos em suas festinhas. Eles preparam uma pior. Embebedam o noivo e o enterram. Com direito a caixão, buraco, terra por cima e algumas benesses, um tubo para respirar, uma garrafa de whisky, um walkie talkie e uma lanterna. Seria apenas uma brincadeira muito pesada se todos os quatro amigos não sofressem um acidente de carro e morressem. A policia acha que o noivo apenas fugiu. A noiva está desesperada. A mãe do noivo pior ainda. Entra em cena o detetive Roy Grace, personagem de Peter James, e a história toma um rumo ainda mais inesperado. Já estou na página 300 e está valendo a pena. Agora é só aguardar que publiquem os outros livros de Peter James, só de Roy Grace existem mais cinco ou seis. Ou então começar a procurar os pocket books.

Um comentário:

O AUDITOR disse...

Comentando a mim mesmo. Finalmente fui apresentado aos e-books. Já baixei o último de Jo Nesbo - Phanton, e o último de Michael Connelly - The Black Box. Ainda não procurei os de Peter James.