domingo, abril 06, 2008

MENINO MALUQUINHO


O dia 1° de abril é o dia do bobo. É, também, o dia da Revolução de 64 apesar dos auto intitulados revolucionários terem insistido sempre que a data certa é 31 de março. E é também o dia do humorista. E agora depois do Ziraldo ter recebido uma pensão vitalicia de R$ 4.000,00, a Bolsa Revolução, mais um milha na boca do caixa, por possíveis danos que nós causamos a ele, "- O Brasil me deve isto", confirma as duas coisas, dia do humorista e dia do bobo, o primeiro para ele e o segundo para nós, que sem ter nada que ver com isto vamos pagar a conta.
Na tirinha o Menino Maluquinho parece mostrar mais bom senso que seu criador.

5 comentários:

Pobre Pampa disse...

Cara, eu era um grande fã do Ziraldo. Mas esta foi para derrubar o mito... a dita revolução, na verdade, deixou Ziraldo e Jaguar, ricos. O Pasquim não existiria sem a revolução e eles sequer foram torturados ou o que seja. Os que realmente tiveram problemas sérios com a ditadura, sem que tenham pego em armas ou sejam amigos do regime atual, nada levaram ou pegaram alguma migalha. O que dizer, então, dos soldadinhos que estavam - por azar - nos quartéis durante a redentora? Se foram mortos ou torturados pelos extremistas, ganharam alguma coisa? Se tiveram problemas psíquicos pelo que viram e vivenciaram, tiveram alguma reparação?

Se eu fosse o Ziraldo, pegava esta grana e ia viver em outro país, para não passar vergonha. Mas, quem disse que esta turma tem vergonha de alguma coisa?

Rasguei os meninos maluquinhos antigos daqui de casa!

CINEMAN disse...

Calma Pobre Pampa. Diferente do caso de Deus a obra é boa, o criador é que é ruim.

Hugo disse...

Infelizmente ainda pagamos as contas das consequências de 20 anos de regime militar. Este caso do Ziraldo apenas é mais um dentre inúmeros que pegaram carona na lei que deveria indenizar apenas os inocentes que sofreram abuso.
Enquanto isso pagamos 40% de nossa renda em impostos e taxas para bancar estas mamatas.

Abraço.

Prof Charles disse...

Nada mais anti comunista, pelo menos em teoria, do que a aplicação que tem sido dada a esta lei. Pela forma que ela foi montada a burguesia e a intelectualidade é que levam a grana alta. O cara que foi torturado, massacrado, se era um proletário, leva uma graninha mixuruca já o intelectual que não levou nem um beliscão, como o Cony e o Ziraldo, pegam esta grana milionária. A frase do Ziraldo "O Brasil me deve isto" é antológica, digna do velhinho maluquinho.

CINEMAN disse...

O melhor comentário sobre o assunto foi do Millor, "- Eu pensei que eles estavam lutando por uma ideologia e não fazendo um investimento"